Quais as vantagens de regularizar o seu imóvel?

Muitos brasileiros já passaram por alguma situação envolvendo a irregularidade na documentação do imóvel, seja na hora de comprar ou na hora de vender um imóvel. Irregularidades na documentação do seu imóvel pode causar “dor de cabeça”, especialmente quando a compra e venda não for acompanhada de um corretor de imóveis credenciado. Mas, o que você sabe sobre a regularização de imóveis? E quais as suas vantagens?

Nesse artigo, nosso gestor Dioner Segala explica brevemente quais são as possíveis irregularidades, faz um breve resumo de como resolvê-las e explica quais as vantagens de regularizar o seu imóvel antes de colocá-lo a venda!

Quais são as irregularidades?

Em geral, existem dois principais focos de irregularidades: a prefeitura da sua cidade ou o Registro de Imóveis da sua comarca.

As irregularidades junto a prefeitura, geralmente, são relacionadas ao habite-se do imóvel (quando este já está pronto), ou ao alvará de construção, quando ainda está na fase de construção. Já as irregularidades junto ao Registro de Imóveis, geralmente acontecem pela falta do registro de alguma transação ocorrida no passado (uma doação, compra e venda, um divórcio no casal, etc), ou a falta das medidas do terreno, e, ainda, a falta da averbação da construção na matrícula do imóvel.

Há, também, irregularidades relacionadas ao fato de o terreno não possuir matrícula no Registro de Imóveis. A resolução desse problema é um pouco mais complexa e pode envolver uma ação judicial de usucapião. É possível, em alguns casos, entrar com o pedido de usucapião administrativamente, no próprio cartório.

E quais as possíveis soluções?

As irregularidades junto a prefeitura podem ser solucionadas mediante a contratação de um engenheiro, que deve analisar o caso e providenciar os projetos. Após isso, ele irá apresentar esses projetos na prefeitura e solicitar o habite-se do imóvel (que já está pronto). Para imóveis em construção, deverá solicitar o alvará de construção, e deixar a obra regular.

Em relação ao registro de imóveis, toda transação relacionada ao imóvel deve ser registrada no Registro de Imóveis. Aí se inclui a separação ou divórcio de um casal que é proprietário do imóvel. Não é difícil, bastando levar os documentos que comprovem a transação, para registrá-los na matrícula. Já a inserção de medidas, como comumente falamos, deve ser feita por um profissional habilitado. Esse profissional deve procurar o histórico do terreno, fazer medições, e desenhar um mapa. Todos esses documentos devem ser protocolados no Registro de Imóveis, para efetivar a inserção de medidas.

Agora, vamos as vantagens!

A primeira delas é na possibilidade da venda com financiamento imobiliário: um imóvel irregular não pode ser vendido dentro do sistema de financiamento imobiliário. Dessa forma, isso leva a reduzir o mercado disposto a comprar o seu imóvel, o que pode levar a uma perda de valor.

Hoje, mais de 60% das transações de compra e venda ocorrem com a utilização do financiamento imobiliário e o imóvel estar regularizado junto aos órgãos públicos é uma prerrogativa do sistema.

Outra vantagem é, efetivamente, no valor do imóvel. Regularizar o imóvel tem um custo e, se esse custo for transferido ao comprador, será necessário reduzir o valor da venda, algo que a grande maioria das pessoas não gostaria de fazer.

Uma terceira vantagem é a tranquilidade: lembre-se, o que garante a propriedade de um imóvel é o Registro de Imóveis, e não a escritura pública, que é apenas o documento necessário para efetivar uma transferência. Porém, se essa transferência não for averbada na matrícula do imóvel, a propriedade não estará garantida. Além disso, registrar transações envolve tempo, que muitas vezes o comprador não está disposto a esperar.

Se você se encaixa em alguns dos casos acima, e quer colocar o seu imóvel a venda, procure a Bello. Com o nosso conhecimento jurídico, nossa experiência de mercado, certamente vamos conseguir ajudar você a regularizar o seu imóvel para vender mais rápido.

Imóveis pequenos como investimento: vale a pena?

Se você, em algum momento, pensou em investir em imóveis, certamente teve muitas dúvidas: onde comprar, que tipo de imóvel comprar, e qual o retorno que esse imóvel vai me gerar, são algumas delas. E aí, ao conversar com seus amigos e familiares, com todos dando opinião a respeito, não parece que as dúvidas aumentaram?

De fato, qualquer investimento, seja em imóveis, seja em outro ativo, se você já não é um especialista no assunto, vai gerar diversas dúvidas, afinal, não queremos investir errado, certo? Vamos explorar o assunto.

De qual tipo de imóvel estamos falando?

Imóveis pequenos existem há muito tempo; são as famosas kitnets, em que sala, cozinha e quarto compartilham o mesmo ambiente, além de um banheiro.

Recentemente, elas foram revisitadas e repaginadas. Ganharam outros nomes e ganharam mercado e as grandes construtoras estão apostando nesses imóveis chamados studios, com alto padrão de acabamento, área privativa de 30 a 60m² e com ambientes integrados.

Falando por experiência própria, houve um tempo em que o principal imóvel buscado para investimento era o apartamento de 02 dormitórios. Mas, os tempos mudaram e hoje parece haver um movimento para imóveis ainda menores: os studios. E será que vale a pena?

O valor do investimento

O primeiro ponto é que o preço de um imóvel está diretamente relacionado ao seu tamanho. Logo, imóveis menores terão um valor de venda menor, e o capital necessário para investir em um imóvel pequeno é menor. E, se você gasta menos ao comprar, não precisa poupar tanto dinheiro para comprar e pode fazer uma compra mais rápida.

A demanda para locação

Em segundo lugar, a demanda por imóveis pequenos tem um público bem amplo: vão desde jovens que recém estão saindo de casa até adultos que escolheram viver sozinhos e tem pouco tempo para cuidar de um imóvel muito grande.

Em cidades com universidades, especialmente, esse tipo de imóvel é muito procurado para locação, pois demanda pouco tempo para cuidados ao imóvel e garante a privacidade para muitos estudantes que não querem dividir apartamentos com amigos. Como resultado disso, a demanda por esses imóveis aumenta.

Despesas e custos

Além disso, um imóvel pequeno tende a ter custos e despesas menores: a taxa de condomínio será menor, bem como o seu IPTU; as despesas para mobília também serão menores e, no caso de ser necessário fazer alguma reforma, o custo tende a ser baixo. Isso leva a menos sobressaltos durante locações e nos intervalos entre elas.

E como fica o retorno do investimento?

E, na minha opinião, o ponto mais importante é que o retorno do investimento será mais rápido: considerando que você pagou menos no imóvel e com uma alta demanda para locação, significa que, proporcionalmente ao tamanho do imóvel, o valor do aluguel será mais alto do que em imóveis maiores. Vou dar um exemplo para explicar:

Se você compra um imóvel de 3 dormitórios por R$ 500 mil, você gostaria de ter um retorno de 0,5% ao mês, então o aluguel teria que ser R$ 2.500,00. O problema é que nem sempre você consegue obter os 2.500,00 no aluguel, por vários motivos, e acaba alugando por R$ 2.000,00. Seu retorno será de 0,4% e, desconsiderando a valorização do imóvel, você terá o retorno em 250 meses, ou quase 21 anos.

Ao comprar um studio de R$ 250 mil, o aluguel esperado será de R$ 1.250,00 (0,5% do investimento ao mês). Talvez, se for localizado próximo a universidades, o valor será ligeiramente maior: em torno de R$ 1300,00, o que daria um retorno de 0,52% ao mês. Desconsiderando a valorização do imóvel, você teria o retorno do investimento em aproximadamente 192 meses ou 16 anos.

Se você se interessou pelo assunto e quer conhecer opções de imóveis menores para investimento, temos uma excelente opção: o Stuttgart Residenz. Acesse aqui a página do empreendimento ou deixe o seu contato que a gente entra em contato com você!

Copyright © - Todos os direitos reservados.